Hora do almoço - Turismo pelo Centro do Rio

O trabalhou dobrou, o estresse aumentou, o salário ainda é o mesmo, só evolui em relação ao prédio, a minha mesa e um pouco de silêncio que as vezes é possível.
Quem me conhece sabe que o silêncio é minha recarga de energia. Gritos, tumultos e grosserias eu procuro evitar sempre. Por isso amo tanto praia a noite, quando o som das ondas é mais alto que o som produzido pelo homem. Mas isso não significa que sou anti-social ou introvertida, enclausurada, bicho do mato... Isso tudo aí eu já fui, um dia, quando criança. Hoje eu sou apenas um alguém que procura sempre o equilíbrio.
E por essa razão que tenho dedicado minhas horas de almoço para fazer o que mais me dá prazer: turismo+fotografia+arte e isso tudo me enriquece e me fortalece de uma maneira que não sei explicar, volto ao trabalho depois de 1 horas bem aproveitada como se houvesse tomado um banho de cachoeira, RENOVADA. 

Escolhi algumas das fotos que fiz durante três dias, espero que gostem! (Ah, as fotos não possuem boa qualidade, foram feitas pelo celular e algumas eu utilizei com zoom dig. que tira quase toda a qualidade da imagem)

Exposição no Paço Imperial - Entre céu e água

Exposição no Paço Imperial - Entre céu e água
Exposição no Paço Imperial - Entre céu e água


Pátio do Paço Imperial

Porta na Rua Primeiro de Março

Candelária


 Beijos enormes,
Bárbara Castro.

Você acredita em vida passada? - Parte 1

Eu recordo daquele dia...

Estava sentada, distraída, como outro dia qualquer e em meio a tantos barulhos eu ouvi o som da porta abrir e adentrando ali, lentamente, você!
Não vou esquecer do quão feliz fiquei em ver seu rosto pela primeira vez.
Estranho, não?
Nunca soube explicar, mas algo passou por mim e foi ali, naquele instante, que eu tive a certeza de estar diante de alguém muito raro para mim.
E como foi que sentimos toda aquela sensação de havermos nos conhecido há milênios, lembra?
Eu lembro!
A cada novo dia, era uma história, um pouco de cada um de nós, uma promessa, uma razão, um desejo. Estar juntos um do outro era uma necessidade grandiosa.
Era amor, paixão, desejo sexual?
Não!
Era maior que isso, maior que sexo, mais intenso, mais verdadeiro.
Simplesmente estar contigo era perfeito.
Não cabia palavras melhores que nosso silêncio, e olhos que diziam tudo.

Eu realmente lembro de cada detalhe de como nos conhecemos. Mas o restante fica para um próximo dia..

Beijos enormes,
Bárbara Castro.