Dissertação, o que é e para que serve?

É um dos temas mais estudados, afinal quem nunca fez uma prova de redação do Enem ou de algum concurso? Enfim, hoje eu pretendo expor um pouco sobre Dissertação, material voltado a minha avaliação na faculdade, matéria de Comunicação e Expressão - A1.

Principais características da Dissertação:

1. Divisão em três partes:
Introdução - Apresentar o tema; TFN (1º parágrafo)
Desenvolvimento - Desenvolver o tema através de ideias/argumentos
Conclusão - Arrematar, ratificar as ideias desenvolvidas (último parágrafo)
2. Modelagem ideal para expor ideias, conceitos, opiniões; Volume informacional, texto impessoal, ideias dispostas conforme intencionalidade do autor (sem ordem fixa – texto atemporal).

Introdução: A introdução serve para apresentar o tema ao leitor e apontar o caminho que será usado para desenvolver esse tema. Assim, na introdução temos o tópico frasal nuclear.

Tipos mais comuns de introdução são:
T.F. declaração – Introdução declaração.
T.F. definição – Introdução definição.
T. F. divisão – Introdução divisão.
T.F. pergunta – Introdução pergunta

Mas afinal o que é TÓPICO FRASAL NUCLEAR?
É o núcleo temático do texto. Ou seja,  assunto principal que será abordado. E ELE DEVE SER APRESENTADO NA INTRODUÇÃO!

Porém, existem dois tipos de tópico frasal: o que resume o tema do texto (TFN) e o que sintetiza o tema do parágrafo (TF). 
Exemplo:
TFN – Violência (localizado na introdução)
TF do 1º parágrafo do desenvolvimento – Violência doméstica
TF do 2º parágrafo do desenvolvimento – Violência no trânsito
TF do 3º parágrafo do desenvolvimento – Violência urbana 

Tipos mais comuns de tópico frasal:
Declaração Inicial – A ideia central do parágrafo se apresenta na forma de uma declaração que tanto pode estar afirmando ou negando. E deve ser justificado ao longo do texto.

Definição – Aqui o tópico frasal define, ou seja, enuncia as características essenciais e específicas de determinada coisa. A definição tanto pode ser científica como pode ser fruto de uma concepção particular de alguém (porém há reservas para este último).  - Usam-se informações de terceiros.

Divisão – Este é um modo essencialmente didático de apresentar o tópico frasal. Nele, separam-se as ideias que serão  desenvolvidas. Ou seja, quando o autor expõe que dado assunto se divide em x partes.

Pergunta – Nesta modalidade de redação do tópico frasal faz-se um questionamento, o qual se perseguirá ao longo do texto buscando respondê-lo. (A pergunta sempre vem no final da frase)

Desenvolvimento: Desenvolver o parágrafo é expor de forma pormenorizada a ideia principal deste (tópico frasal). Tal desenvolvimento pode se dar por diversas maneiras. As quatro formas mais utilizadas são por: 

     Enumeração: O autor enumera e detalha a ideia apresentada, e pode-se desenvolver a enumeração das seguintes formas:

 - por descrição - Ele descreve algo.
 - por exemplificação. - Pode esclarecer o assunto proposto e comprová-lo.
 - por dados (números, frações, percentuais) - utilizando números (estatísticas ou dados de qualquer natureza). Sempre indicar a fonte de onde os dados vêm.
 - por lista de características ou por qualquer tipo de lista - o autor lista as ideias.

     Confrontar: Ele desenvolve a dissertação confrontando ideias e argumentos, tal comparação pode ser feita através das semelhanças, das diferenças ou de ambas. 

      Causa e efeito: Desenvolve-se assim o parágrafo, esclarecendo a causa, motivo ou razão, bem como a consequência ou efeito do acontecimento ou fato apresentado como ideia principal. Quando se trata de fenômenos físicos, empregamos os termos causa e efeito; se humanos usamos os termos motivo, razão e consequência.

       Alusão histórica: 
- Argumento por autoridade: Quando inserimos a fala de uma autoridade. (Usar aspas ou discurso indireto)
- Recordação: Citar fatos passado para desenvolver a ideia principal. 

Conclusão: A conclusão serve para resumir e ratificar as principais ideias expostas no texto; São várias as formas de se concluir um texto dissertativo, entretanto cinco maneiras são as mais usadas, sendo elas:

Conclusão Resumo: O redator faz um breve resumo das principais ideias para reforçar os pontos mais marcantes.
Conclusão Proposta: O redator propõe uma solução, um caminho a ser seguido em direção à resolução do problema
Conclusão Pergunta: No final o redator propõe uma reflexão, colocada na forma de pergunta, o propósito maior é deixar/estimular o leitor a pensar.
Conclusão Adicional: Espaço da conclusão é aproveitado para apresentar e/ou desenvolver novas ideias (ainda não comentadas no texto).
Conclusão Surpresa: É o tipo que permite que o espaço de arremate do texto seja usado para dar ares mais poéticos ou irônicos ao texto. É quando se introduz na conclusão um elemento estranho ao tema, porém análogo, que dá um tom mais coloquial, lírico ou engraçado ao texto escrito.     
      
Título: São modelos de síntese, apresentando de modo “abreviado” a ideia principal exposta, o tópico frasal nuclear (TFN). Ou seja, usa-se o TFN para compor seu título, mas sem repeti-lo na introdução. E NUNCA SE DEVE USAR PONTO FINAL EM UM TÍTULO.


Beijos enormes, fiquem com Deus.

Bárbara Castro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!