Carência acompanhada!

De acordo com o dicionário, Carência significa: "Falta, escassez, necessidade de alguma coisa básica, privação." (Não mencionando seu significado jurídico, pois sobre o que irei falar não convém).

Sempre achei que por nascer filha única eu era a pessoa mais carente do universo, entretanto vejo o quanto estive errada todo esse tempo. Pois o que não me faltou foi carinho, atenção, mimos, cuidados, e nunca fui privada de nenhum desses benefícios, pelo contrário, por ser filha única, neta mais caçula de uma das avós e primeira neta de outro avô era sim uma criança muito amada!

Com o passar dos anos, a tecnologia nos aproximando, essa revolução explosiva que tomou conta do mundo não tem nos feito bem. Confesso que de um tempo para cá tenho me sentido sozinha demais e tomei a decisão mais importante da minha vida: Ser minha melhor companhia.
A carência tem chegado quando acreditamos estar acompanhados, mas então eu me pergunto: É companhia aquele com quem estamos sentados em uma mesa de bar tomando uns drinks ou aquele que tem nossa atenção, quase que total, pelo celular?

Outro dia estive pensando no quanto me sinto distante dos amigos, e passei a tentar não usar o meu celular todo o momento, para que possa apreciar mais suas companhias, mas quanto mais me distancio dessa 'moda' mais me distancio deles. Daqui a pouco teremos um papo pela rede social sentados frente a frente, as vezes economizar salivas em tempos de crise é uma boa opção!

Não culpo a internet por nossa carência, somos nós que estamos totalmente sem rédeas. Hoje ao acordar eu fiquei refletindo sobre ser carente ou não, tenho amigos que não se dizem carentes mas só de sermos carinhosos e atenciosos eles se apaixonam, assim como eu. Tem se tornado raridade e quem sabe administrar o carinho e ser atencioso acaba ganhando-o, ou quem sabe, usando-o.

Quem me conhece, mesmo que por pouco tempo, sabe que posso ser uma explosão de sentimentos; eu sou uma eterna apaixonada, meus amigos que o dizem, pois toda semana eu faço questão de aparecer e dizer o quanto sinto suas faltas e o quanto sou rica por tê-los. (Não me faz melhor que ninguém, mas livre em fazer o que desejo e sinto!)

É, ser carente ou não é uma disputa infiel entre olho no olho e a tela na tela.

Beijos enormes,
Bárbara Castro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!