Amizade - Expectativa - Amar - Pequeno príncipe - Filme Adam

Eu sempre escrevo muito sobre o amor, sobre amizade, sobre sentimentos.
Mas ultimamente tenho pensado tanto sobre o que realmente vale a pena e nos faz feliz, e amar está dentro desses critérios? Eu passei minha vida inteira tentando não morrer de amor, e acho que tenho sobrevivivo... (risos)

Amar é querer perto, é querer bem, é querer sempre.
O incondicional é definido como o amor de mãe, aquele que é infinito e nada o fragiliza.

Uma amiga outro dia me enviou a seguinte mensagem: "Quem foi que disse que amor eterno é só de mãe?". Comemoramos 16 anos de amizade, e talvez nos primeiros anos não tenhamos nos dado conta que chegaria a isso, foram momentos turbulentos, mas a maior parte das vezes fomos cúmplices de uma felicidade muito bonita chamada afinidade. Até hoje temos uma linda sintonia.

Uma outra amiga minha, que confiei todos os meus segredos, hoje já não fala comigo. (Por dentro eu confesso que sofro parcelado.)

E uma outra que conheço a pouco tempo já me disse algumas vezes que 'eu sou tudo para ela'. Acho que ela talvez não entenda que a Bárbara aqui acredita em tudo que dizem ao pé da letra, mesmo sabendo que ela exagera um tanto!

Ser amiga de alguém não é uma decisão simples, não é apenas chamar de amigo, rir junto. É uma responsabilidade. Como em O pequeno príncipe: "Você é responsável pelo que cativas". É você cuidar, ser cuidado também, é atenção, é muitas vezes abdicar do próprio sofrimento para acolher o amigo sofrido. Eu pelo menos tenho essa linha de raciocínio, e acredito que meu 'quase morrer de amar' seja por isso.. TENHO VONTADE DE MUDAR! (Mas perderia minha essência.)

Hoje assisti um filme com o qual me identifiquei, chama-se "Adam", é a história de um rapaz com Síndrome de Asperger, de uma maneira bem grosseira é um tipo de autismo. O jovem personagem morava sozinho, órfão de pai e mãe, e se apaixona por sua vizinha. Ele era muito inteligente, e possuía um sentimento a flor da pele, e lembro de uma cena na qual explica sua doença mais ou menos assim:"Eu nunca sei o que as pessoas estão pensando, só sei o que elas realmente dizem". Então eu percebi do decorrer do filme que Adam era assim como nós, mas possuía essa sensibilidade maior, ele amava de uma maneira muito real, muito simples, muito bonita, por que ele simplesmente amava, ele não dava voltas para expressar isso, ele era autentico, o que não somos em grande maioria. Assustava muitas pessoas mas fazia se apaixonarem por ele as poucas que valiam a pena.

É, amar realmente dói, porque sempre esperamos em troca. É a tal reciprocidade ou expectativa.

No dicionário a palavra expectativa significa 'estado ou qualidade de esperar'. Criar expectativas sob qualquer coisa ou pessoa é o maior erro humano, viver o momento como Adam é a melhor opção.

E lá vamos nós, continuar sobrevivendo..

Beijos enormes, fiquem com Deus,
Bárbara Castro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!