100% Bárbara (risos)

Pensando com meus botões..

Uma das coisas que mais me pergunto ao longo da vida é se posso ser quem eu realmente sou ou não? Porque vivemos em uma sociedade meio hipócrita, mas ao mesmo tempo, solitária e carente.

Achar que a rede social nos aproxima, nos trás para mais perto de alguém é a coisa mais enganosa e absurda, quando na verdade ela nos distancia de quem está a meio metro de distância. É, amo celular
sou viciada em rede social, e é mais fácil fazer chover do que o meu celular descarregar (talvez seja por isso que a vida útil dos aparelhos hoje em dia é tão curta, antigamente eles carregavam desligados!).

Mas não venho aqui falar de celular, venho falar sobre o ser humano de um modo geral, sobre nossas atitudes, ou talvez sobre a minha. Lembro da minha amigona, há um ano, dizendo para mim nessas exatas palavras: 'Não se doa por completo'!

Acho que não me doar por completo me torna só meio Bárbara, e não sou de meio! Ou sou completa ou não sou nada. Só que ainda assim eu continuo me perguntando se seria mais feliz se não fosse 100%, seria mais feliz comigo mesma ou as pessoas gostariam mais de mim? E AFINAL O QUE É MAIS IMPORTANTE, EU OU ELES?

Todos que me conhecem sabem que o que eu puder fazer para ajudar eu farei, para alguns eu ainda ultrapasso um limite perigoso, uma área na qual eu reconheço ser um abismo (um passo para cair ou um passo para se reerguer). Minha mãe outro dia me comparou a melhor amiga dela, alguém que eu sei o quanto é amiga, o quanto é admirável e faz de coração aberto. Fiquei lisonjeada, confesso! (Apesar de não acreditar muito nessa possibilidade)

Eu entendo por que a minha velha amiga me disse para não me doar por completo, talvez ela saiba mais do que eu que não sou a válvula de escape na qual eu mesma me transformo para os mais chegados, a culpa de não saber dosar uma relação é minha. Sempre tive esse efeito na vida das pessoas e tenho pensado muito em como mudar isso, talvez eu nunca mude ou talvez já tenha começado a mudar, um dia volto e conto se foi melhor assim ou não.

Bárbara Castro.



PS.:
O uso da palavra HIPÓCRITA foi pensando nesse significado: 
Uma pessoa hipócrita é aquela que finge ser o que não é, seja através de religião, virtudes, características, idéias, sentimentos, e etc. A pessoa hipócrita finge ter algo que não tem, seja para agradar aos outros, se aproximar de um determinado grupo, ou até mesmo para melhorar a sua própria auto-estima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!