Felicidade!

Existem muitas letras sobre esse tema, muitos conselhos de como a adquirir. Mas raramente nós conseguimos uma felicidade plena. Eu diria até que essa tal plenitude não existe.
Não sou pessimista, não! Estou apenas sendo realista.
Sua santidade, Dalai Lama, já dizia que 'felicidade é um estado de espírito".
Muitas vezes depositamos nossa felicidade em alguém ou algo. Como, por exemplo, desejar um carro novo e achar que só será feliz quando o tiver. Ou quando acredita-se que aquele alguém que amamos não pode ir embora, mesmo que não nos ame mais, pois sem ele não se é feliz.
Enfim, a grande dificuldade nossa é encontrar a felicidade em porções menores.
Nos detalhes que a vida mostra, no dia a dia, em um sorriso, em um olhar.
A felicidade está para nós como o sangue em nossa veia, a gente não ver ele correr, mas está lá nos fazendo viver.
Ser feliz agora é uma decisão que podemos tomar toda manhã, toda vez antes de sair para o trabalho, sempre que for levantar-se da cama. E se permitir não cair em tentação quando alguém te fechar no trânsito. Por isso a felicidade em si não é plena, porém apesar dos tropeços o importante é jogar a poeira para o lado e manter o foco na sua determinação.
Escolheu ser feliz hoje?
Então seja!
Eu diria que uma das coisas mais maravilhosas depois de amar é fazer alguém feliz.
E falando nisso, lembro de uma frase de Chico Xavier que diz mais ou menos assim: "Deixe um sinal de alegria por onde passar".
É gratificante espalhar alegria e colher sorrisos!
Não deixe para amanhã, isso aqui não é academia que fica sempre para a segunda-feira, faça alguém e a si mesmo feliz agora!
Que Jobim possa nos presentear com suas poesias cantadas mas que suas letras sejam toques na alma, como, "Tristeza não tem fim. Felicidade sim". Que tal mudarmos isso?


Beijos enormes,
Bárbara Castro.

Escrever é como viajar em pensamentos.

A arte de escrever sempre foi um sonho meu.
Lembro que viajava lendo os livros de Sidney Sheldon ou Paulo Coelho.
Eu nunca fui muito fiel a nenhum autor, gosto de apreciar todas as histórias independente de quem as escreveu.
Imaginava se um dia eu conseguiria fazer alguém viajar com a minha.
Até hoje imagino.
Quando começo a escrever nunca sei o assunto que vou abordar.
É engraçado porque eu simplesmente deixo o teclado soar cada letra e construir algo que nem mesmo o fim eu posso imaginar.
Escrever não é fácil, sou muito crítica ao que faço.
Se desenho, fotografo, se escrevo, sempre busco com lupa algum erro crasso.
Costumo escrever sempre imaginando a cena, parece que me soa real.
Me transporto para a situação como uma mera observadora.
Já ouvi dizer, de algum amigo, que escrevo o que sinto.
Na verdade não! Escrevo o que me vem em pensamento.
Algo que vivenciei, algo que vivi ou apenas uma ilusória estória que inventei.
O garoto cego no banco da praça que pergunta sobre as nuvens foi um arrepio entre o amor daquele jovem e o adulto arredio, sem tempo para apreciar os detalhes divinos.
Eu simplesmente a inventei, e hoje sinto que existiu.
E o texto sobre o casal apaixonado que por um descuido quase se separam, mas por fim se casam?
Ah, é um dos meus prediletos!
Sempre imagino o texto sendo interpretado em uma dança coreografada e romântica.
São sonhos que nunca se apagam.
Escrever é mesmo uma arte, e como toda arte, é necessário sempre buscar aprimoramento.
Busco assim, insistindo naquilo que acredito.
Escrevendo..
Inventando..
Sentindo o real..
Escrever sempre foi meu alvo principal para essa jornada chamada vida.


Beijos enormes,

Bárbara Castro.

A vida é uma caixinha de surpresa.

A vida é mesmo uma caixinha de surpresa, a gente vai vivendo um dia após o outro e nunca saberemos como será o amanhã ou mesmo como será mais tarde, ou daqui a 1 minuto.

Eu sempre fui muito presa a análise, sempre gostei de possuir o controle da minha própria vida, e confesso que até hoje só o perdi por completo quando devia ter uns 12 anos e bebi champagne na boca da garrafa na festa de ano novo, dancei muito e as fotos revelaram o que eu nem imaginava ter feito.
O que é importante e relevante entender é que nem sempre pensar no amanhã nos faz sábios e seguros, podemos morrer nesse instante enquanto pensamos. Mas também não dá para fazer 'o louco' e sair por aí vivendo sem limites nenhum, o essencial é aprender EQUILIBRAR.

Não existe ser 8 ou 80, por que não ser meio termo? Porque resistir tanto a mudança, sendo ela tão fundamental em nossas vidas.
Precisamos aprender que a mudança é necessária, a questão de adaptação, a questão de as vezes não ter razão só para apreciar o momento.
É tão mais simples estar em boa companhia e apreciar cada segundo ao invés de fazer tempestade em copo d'água por que algo saiu diferente.
Ontem, fui ao cinema com uma pessoa super querida, antes da sessão começar fomos comprar um fast-food e a demora foi excepcionalmente de 30 minutos para pagar e pegar, eu que não tenho muito costume em perder minha paciência (exceto quando necessito repetir várias vezes a mesma coisa por que a pessoa é distraída ou se faz) fiquei batendo meu pézinho, balançando o corpo, olhos quentes, respiração ofegante, mas me segurei, porque a moça não tinha culpa do seu patrão desfalcar funcionários. Então não quis estragar o momento, fiquei ali esperando com a amiga, e por fim nem perdemos o início do filme mesmo com 20 minutos de atraso.
As vezes não vale a pena fazer cinco minutos estragar uma noite. Rimos da comédia, comemos, e tivemos uma noite maravilhosa.

A vida é uma caixinha de surpresa, e por ser surpresa nunca saberemos o que haverá lá dentro, amanhã. Mas por esse motivo devemos estar sempre prontos a ser feliz, a aproveitar o que vier da melhor forma possível. Quem ri hoje, faz ri alguém que amanhã poderá te fazer ri novamente.
Espalhe o seu melhor por onde passar e vamos evoluir.

Beijos enormes,
Bárbara Castro.

Coração de papel.

O relógio não para enquanto decido pensar e analisar os fatos. Ele simplesmente roda, gira, acelera junto ao meu medo de perder um instante.
Mas eu acho que já perdi, e não foi um apenas, foram vários, muitos, tantos a longo da vida.
Perdi até as contas.
"Eu não tô desanimada!"
Estou cansada de reviver as mesmas histórias, e consciente que vou reviver novamente até aprender.
Acho que eu nunca aprenderei!
Não sou pessimista, não. Nem talvez!
Só estou desiludida com esse coração de papel.
Basta uma lágrima, um sorriso ou um pedido de ajuda que ele logo resolve amar.
Ah, coração frouxo!
Depois eu que preciso aguentar ele chorar, depois eu que preciso arrumar a bagunça que ele fez.
Eu sei que poderia ser só Razão.
Me ausentar dessa emoção toda.
"Pedir para sair"
Mas no fundo morreria se não pudesse amar um pouquinho que seja.
Esse coração só precisa aprender a equilibrar, Razão e Emoção.
Precisa aprender a não se apaixonar tão rapidamente.
E não é de amor carnal que eu estou falando, ele se apaixona por um olhar, o som da voz, um sorriso, um toque, as mãos e pelo perfume.
Se fica sem logo vem o ciúmes, morre a chorar e como é feito de papel, desmancha.
"Eita coração viado!"
No sentido sentimental e não preconceituoso. Afinal, o coração é todo amor, não tem raça, credo, nem sexo.
Ele simplesmente quer amar, se alimenta disso.
Mas nunca aprendeu que para amar as rosas é preciso amar os espinhos.
Nunca aprendeu a equilibrar esse amor.
Ou ama e se desmancha ou nunca conheceu!
Pois ele não sabe mais nada além de amar...

Beijos enormes,
Bárbara Castro.

Novo dia, RECOMEÇO, COMEÇO, INÍCIO? É questão de ponto de vista.

E hoje começa mais uma semana, mais uma nova oportunidade.
Dizem que começar não é o mesmo que recomeçar, pois quando se recomeça há maior probabilidade de estar com alguma ferida em aberto, e começar não, é novo.
Mas aí eu me pergunto: o DIA DE HOJE É UM RECOMEÇO OU UM COMEÇO?
Para alguns é um recomeço sem qualquer dúvida, para mim, é o início.
Eu recomeço o que já teve início, mas eu já vivi o dia de hoje?
NÃO!
Vivemos um dia após o outro, mas nunca o mesmo dia, então neste caso, pelo meu ponto de vista, é sim um começo, um início.
As feridas devem cicatrizar antes da cabeça no travesseiro, não devemos levar uma mágoa para o dia seguinte, 'é furada'.
Para um novo dia, novos sorrisos, novos sonhos, novas forças, para o dia de hoje, o início de um belo dia que estar por vir!

Tenham todos um excelente dia e muita paz no coração!
Viva a oportunidade de fazer diferente, viva a vida hoje.
Ame, apaixone-se, curta cada segundo e não deixe de apreciar os detalhes mais significantes como o sorriso de alguém que amamos, de uma criança, a festa do cachorrinho quando chegamos em casa, um bom iluminado do porteiro, a gentileza de um desconhecido, o vento que sopra de leve na sombra de uma árvore.

Fiquem com Deus,
Bárbara Castro.


Uma história de amor

Soprou um beijo a ela, de leve o vento levou.
A bela de olhos castanhos sentiu seu beijo de amor.
De longe os olhos flertaram e o tempo quase parou.
''Não temas o que sente'', disse o jovem rapaz que se aproximava lentamente.
Os olhos fitando os dela a fez estremecer.
Ele pegou em suas mãos gélidas e um simples sorriso ganhou.
Ainda que tímido, no meio do rosto rosado, da bela jovem mulher.
"Ainda que seja cedo, meu amor é tão sincero que não posso negar-te"
A jovem sentiu a sinceridade na frase do belo rapaz.
E mesmo que o beijo fosse esperado os olhos fitaram parados.
O riso desfez o silêncio, a lágrima rolou pelo rosto.
O amor inevitável dos dois era amor proibido.
Primos que se conheceram há pouco, de primeiro grau.
Os pais eram os primeiros a ir contra o casal.
Diriam que a afinidade se confundiu com o amor.
Mas quem garante que não foi isso que aconteceu?
Quem sabe o amor entre os dois fosse apenas admiração, carinho, cuidado.
Ou será que era carnal?
Não haveremos de saber, pois o que fizeram foi a separação.
Eles, de coração partido, preferiam aceitar que o amor era proibido.
Mas nunca o jovem rapaz esqueceu aquele olhar.
Amor, que é amor, nunca há de morrer.
Nem mesmo com a distância ou a vontade de esquecer.


Beijos enormes,
Bárbara Castro.


Escrevo o que me vem a mente.

A minha mente brinca as vezes comigo.
Ela viaja em pensamentos, inventa algum tormento, paixão, romance.
Alguns textos que escrevo me transformam em uma pobre coitada, outros, em uma apaixonada.
Sim! Eu sou apaixonada pela vida, pela mágica de amar e ser amada.
Gosto de sentimentos, do que ele me proporciona, de como ele vem ou por quem.
Escrever é como deixar o pássaro voar e viajar em uma fantasiosa história inventada.
Mas nem tudo que escrevo eu invento!
Amor é uma explosão que vem de dentro para fora e me tira totalmente do chão.
Amo a vento, a lua, o sol, o mar, amo pessoas, meu cachorro, meu lar.
O silêncio e o agito, o segredo e o grito.
Amo os amigos que a vida me deu, as oportunidades e as bravas conquistas.
Amo escrever, finalizar um texto, reler, amo desenhar, fotografar, sentir os pés tocarem a areia do mar.
E como se não bastasse, ainda sinto que um dia vou morrer de amor, não uma morte normal.
Mas uma falta de ar, um brilho nos olhos, mãos entrelaçadas e o fim.
Ou o recomeço!
Quem disse que não existe vida após aqui?

Bom dia mundo!
Beijos enormes,
Bárbara Castro.




2016 - Ano de conquistar o sucesso!

Enfim a página virou.
O livro novo começou com um romance, uma pele na pele, um olhar atento, um sorriso.
Ai, amo sorrisos, até perco a noção dos sentidos.
Perco até a palavra com rima, um verso, uma declaração.
Perdi o que iria dizer só por imaginar esse teu sorriso, belo e feiticeiro.
Mas afinal sobre o que estava escrevendo?
Sobre o ano que começou ou sobre o meu amor?
Voltando ao que dizia: Eis aqui um vencedor.
Alguém que carrega na alma a alegria de dias após dias.
Pés sempre no chão, loucuras de vez em quando, mas juízo e paz no coração.
Foram assim cada dia do ano que passou.
Choros e saudades, apertos, verdades.
Pessoas deixaram de falar comigo, me mostraram que ainda posso amá-las.
Sim, aprendi a amar sem ser correspondida.
Mas dói saber que alguém que já foi tudo, hoje não deseja ser nada.
Aprendi também o meu valor, reconhecer que sou capaz.
AUTOCONFIANÇA!
AMOR-PRÓPRIO!
Um ano de aprendizado, sofrimento financeiro e uma dose dupla de felicidade.
É, dinheiro não trás felicidade, apenas compra uma felicidade momentânea.
Algo diferente do que realmente me fez feliz.
Obrigada Deus, por tudo!
Que venha os próximos dias, aprendizado, saúde, felicidade e conquistas.
E claro, um ano para se apaixonar por você, pela vida, por alguém!
São meus desejos para 2016.
Amém!