Amor bandido

Pela manhã eu levanto, sem medo.
Sumo pela casa procurando um alento.
Não tenho mais nada a fazer, você me deixou.
Nem mesmo seu novo endereço ficou.

Dizem que amor é cego.
Mas não, é bandido, é furacão.
Deixa a gente sem controle da própria vida.
Faz perder o juízo, a mentalidade e a razão.

Não vejo você há algum tempo.
Sinto falta dos teus beijos, da sua proteção.
Você quis assim e eu terei que aceitar seu 'não'.
No fundo aprendi o que é solidão.

Fui fiel aos meus sentimentos.
Respeitei nosso casamento.
Te amei desde o primeiro momento.
E hoje, só te quero por perto.

Minhas amigas falam para te esquecer.
Dizem que você não presta.
E eu insisto nesse relacionamento;
Por que acredito que meu amor é você!

Talvez se houvesse dito adeus;
Mas não, você simplesmente se perdeu.
Deixou-me no vazio da escuridão;
Sem entender tua razão.

Um dia ei de aprender.
O amor-próprio ei de ter.
E quando sentires vontade de voltar;
Eu não mais vou te querer!

Por hoje chega de sofrer;
Vou sair para dançar com as amigas.
Aos poucos te tiro da minha vida.
Mesmo te amando vou aprender a te esquecer!

Beijos enormes e boa tarde!
Bárbara Castro.

PS: Só um rascunho no qual estou trabalhando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!