In memoriam

Nunca lembro de datas, tão poucas das que deixam saudades. Lembro sim das cenas que detalham a vontade de voltar no tempo.
Das mãos firmes segurando as minhas, lembro das unhas que já não roia, da noite anterior tão próxima.
Lembro da latinha de Sukita, do modo como ele colocava o canudo (hoje faço igual).
Era preciso congelar o tempo para não esquecer alguns momentos, mas nunca esqueço um só gesto dele.
Era meu protetor, mais forte homem que já conheci, nós tínhamos uma união incrível, pareciam dois meninos ora, pai e filha.
Pai, se rezar para ti fosse como te trazer de volta, já estaríamos juntos novamente, mas compreendo que o que mais desejo é luz no seu caminho.
Poucos sabem como fostes, poucos entenderão tua audácia. (Mas não o julgo)
Fez nublar todo meu céu estrelado, mas hoje eu sei que nada disso importa, senão o amor.
Aquele beijo que te trouxe pra mim, aquele momento que aparecestes tão rápido, dos olhos tão próximos dos meus, eu soube que era seu momento de despertar.
Que as rezas que fiz para oxalá, Deus, Jeová, e amigos espirituais foram atendidas.
Hoje sinto você no céu, no nosso lar, na colônia, na paz.
Te amo meu pai e sinto lamentar, pois de vez em quando sinto falta de ar, choro que corre desenfreado, falta do teu colo e proteção, mas nunca esquecerei que foste tudo na minha vida.
São o que, 11 anos? Já nem sei como contar..
Só me lembro da sua alegria, tua face a sorrir, lembro das tuas mãos e teu jeito menino.
Isso que quero lembrar, de ti sempre comigo!

Meu pai foi um cara excepcional para mim, um pai super protetor, cuidadoso, amoroso. Ele não faleceu de fato em 30/09, mas infelizmente foi um dia muito triste para mim então considero sua ausência a parti deste dia, e não em 03/10. Eu sei que por tudo que passei, nunca passei sozinha, e com tudo que aconteceu eu amadureci de uma maneira surpreendente, agradeço a Deus por me guiar sempre no bom caminho e me mostrar que ainda posso mais, basta acreditar e querer. 
E assim, minha missão continua.. (Espero verdadeiramente ter te ajudado de alguma maneira, pai).

Beijos enormes,
Bárbara Castro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!