Vó é como mãe - Meu tesouro!

Com os quatro filhos que tinham
O casal seguia com normalidade
Ela era a dona de casa como os padrões mandavam
E ele, o senhor, homem que trabalhava.

Aos poucos as vidas se entrelaçaram,
Com uma terceira pessoa.
O pai de família ganhou,
O amor da professora.

Os filhos perderam o convívio do pai
A mãe teve que trabalhar para fora
Ninguém recebia pensão
Nos tempos de outrora.

O último filho nasceu
Criado sem a presença do pai
Cresceu com dignidade 
Aquele jovem rapaz.

Todos os filhos cresceram 
Dignos e educados
Tiveram suas próprias famílias
E a mãe ficou um pouco de lado.

Ainda aquela senhora,
Criou alguns dos netos
Recebendo todos eles
Sempre de braços abertos.

Vivia subindo em árvores
Parecia uma criança levada
Precisavam ter cuidado
Com a senhora danada.

Quando lembro me orgulho, 
Da minha grande paixão. 
Hoje minha vó mora longe, 
Mas perto do coração.

Apesar de estar um pouco sem rima, e precisando de alguns ajustes, eu decidi publicar.
Não é uma história 100% verídica, pois não conheço exatamente os detalhes que foi a vida dela antes do meu nascimento, mas gostaria de homenagear uma das pessoas mais importantes da minha vida, minha vó paterna, que mora em Marabá-Pará e é ainda hoje alguém de muita força e fé.
Quem me ensinou o valor da fé, do acreditar. Quem me ensinou a rezar e conversar com Deus, quem me ensinou a humildade, e muitos outros valores. Quem me protege até hoje, mesmo de longe, que se preocupa, que me ama, e quem eu amo com toda a força da minha mãe.

Deus, obrigada por esta pessoa tão especial, a quem dedico muita saúde, aprendizado, paz, amor, felicidade. Que sua força recaía sobre ela em forma de saúde, a envolva com sua proteção e bondade, pois tu meu Pai, és nossa base e fortaleza. Assim seja.

Desculpa as palavras e texto extenso, eu me emociono muito quando falo da minha vó, guerreira nº 01.

Beijos enormes,
Bárbara Castro.











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!