Recomeçar

E finalmente a última página deste enredo.
Ela fechou o livro entre suspiros e o beijou de maneira delicada, como se pudesse agradecer a breve e sábia leitura.

Nunca será tarde para recomeçar.
Era uma tarde de sábado em pleno verão, Mônica não possuía ar condicionado e sentia o vento correr dentro de sua casa como uma brasa. Era inevitável o escorrer do suor e a agoniante sensação de desconforto, mas ainda penetrada em sua leitura, ela viajava entre as palavras claras do autor.

O livro contava sobre o comportamento humano, sobre o querer impor suas idéias sem respeitar a do outro e parecia um teletransporte capaz de enviar Mônica ao passado. O autor era claro em suas idéias, e discutia muitos pontos favoráveis, mas deixava sempre aberto a linha do observador e leitor. Como o próprio citava em sua dedicatória "Não há um leitor sem sua própria interpretação".

E cá entre nós, interpretar um fato, um livro, revista, jornal, uma situação, uma frase, um olhar, sorriso ou mesmo gesto, não é atividade para quem vive compenetrado numa ideia fixa de imposição, mas de quem revive as trajetórias e se mantem de mente aberta ao novo.
Interpretar não é seguir análises de alguém, mas saber ler algo e transpor aos dias atuais sempre com suas próprias conclusões.

Bobo é aquele que ouve uma história e a passa a diante sem antes analisar os fatos, este, meu caro, não era o caso de Mônica. Ela nasceu uma curiosa nata, observadora e conclusiva. Diria até teimosa, mas sempre fazia análises de cada fato ou gesto antes de ter sua opinião.

Então, quando encerrava a última página Mônica decidiu também encerrar o passado, e aprendeu. Porque nada do que acontece é em vão, nem mesmo a dor. E isso ela conhecia bem, mas estava disposta a seguir em frente e esquecer o que a magoou, e foi assim, entre uma leitura e outra que ela se deu conta e descobriu que apesar de todo amor que ainda lhe cabia, o fim justificou os meios.

Já anoitecia quando ela se pegou olhando as estrelas, um céu iluminado e em festa! E um sorriso transbordou de seu rosto como o brilho de uma lua, era o recomeço.. Sim, porque recomeçar é sempre a melhor das oportunidades!

_____________________________________________________________________________

Ah, meu amigo, recomece, reaprenda e nunca desista de si, Deus nunca desistiu de nós, porque haveremos de desistir?
Se você está deprimido, se sente gordinho ou magrinho, se você não gosta de suas roupas, se está sem dinheiro, se não consegue arrumar um empregou ou uma companhia. Não desista!
Faça algo por você, conquiste cada dia recomeçando, enfrente as dificuldades. Nada é fácil, mas com certeza para um vencedor, vencer é questão de tempo. ACREDITE EM SI MESMO!

Beijos enormes,
Bárbara Castro.


PS. Meu próximo passo: Parar de roer unha! Conto a evolução por aqui.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!