Internet, sem rédeas.

Hoje eu esqueci meus fones em casa, esqueci livro, esqueci o meu joguinho do celular.. É, eu sobrevivi ao trajeto casa-trabalho!
Confesso que foi a melhor coisa que fiz esta semana, porque eu me dei conta, ainda que pareça tarde, que o uso excessivo da internet e outros milhares de meios eletrônicos tirou de nós a oportunidade do olho no olho, do tocar, do gesto delicado, dos lábios ao se moverem lentamente formando um lindo sorriso. É, eu admito. PERDI.
E pelo que vejo, pela quantidade de momentos que perdemos, de sentimentos que substituímos, pela quantidade de horas que gastamos, só vejo que os robôs camareiros que estão sendo testados nos EUA, são apenas o início de uma linha de robôs, possivelmente virá os robôs amigos, pai, mãe, irmão, porque cachorro já tem há um bom tempo.

Seria cômico se não fosse dramático. Eu tenho uma experiência ruim que me fez olhar a vida por outro ângulo, e não culpo a internet ou eletrônicos, culpo a eu que perdi as rédeas. Abrir sua vida em rede social nunca será apenas um desabafo, mas é como se você estivesse abrindo sua vida para "qualquer um" sem limitar até onde ele pode transitar. E há empolgação, há invasão do aberto, o que não concordo que seja invasão, pois há acesso livre.
Aos poucos eu trilho um novo caminho, ainda possuo as mesmas redes sociais, só que ultimamente a rede social que utilizo é o Ig, onde tudo meu é restrito. Foi dificil, mas ver que eu "disse" algo sem dizer, num telefone sem fio, é bem pior e eu sobrevivi.
Eu quero ser melhor que eu, não estou nesta vida para compettir com ninguém, uma simples frase diz: No frio, sozinho se morre, acompanhado se sobrevive. Ninguém nasceu para estar só, porque somos tão relutantes em pensar que temos que lutar para nos unir e não lutar para nos afastar? Porque é tão fácil odiar e não amar?
Cansei!!! (Cansei de viver ao avesso, quero seguir o que bate para eu sobreviver: O coração)
Talvez quem ler isso, se alguém vier a ler, me jugue idiota. Se jugue esperto! Não. Eu não vou jugar nada, só estou abrindo e expondo uma opinião, a minha.

Bárbara Castro.

2 comentários:

  1. Oi, Bárbara!
    A internet e suas redes sociais, é uma realidade que está mudando o mundo e o comportamento das pessoas. Para as gerações "X" é bem mais fácil sobreviver sem ela (internet), porém para os que nasceram "dentro dela", sua relevância é imperceptível pois já faz parte de seus DNAs. Acho que no seu caso, você tem um pouco do antes e depois, e talvez por isso, tende a resistir aos seus "encantos". Com certeza se pudesse escolheria o antes dela,... digo isso, porque também tenho essa tendencia a gostar do novo, mas sinto falta do antes. Espero que tenha entendido essa confusão toda que escrevi.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Eu entendo.. E custei a perceber, mas durante o trajeto casa x trabalho, eu passei a observar que as pessoas andavam menos pacientes, brigam por motivos torpes, enquanto outros ficam em seus tablet ou celulares entorpecidas. Não estou criticando, mas estou observando que passamos a saber lidar menos com o ser humano, que estamos perdendo grandes momentos reais. Usando os 'encantos' contra nós. Eu utilizo a internet hoje, de uma maneira até mais saudável, graças a Deus, por que ainda possuo as mesmas redes sociais, mas frequento menos, exceto o Instagram que gosto de publicar fotos aleatórias, pois sou uma amante dessa arte de fotografar, mas fora isso tudo ficou sem graça, gosto de olhar nos olhos das pessoas, ouvir suas vozes, saborear suas companhias, gosto de passear, tirar fotos, e nem em casa, com meu 'irmão' tem sido fácil, porque ele ainda não se deu conta que estar perdendo um pouco da nossa convivência enquanto usa fone de ouvido ou o tablet para jogos. Mas espero estar só fazendo uma tempestade em um copo d'água. Exagerando.

    ResponderExcluir

Faça valer a pena!