Meu momento..

Meu coração palpita em desalento, eu sufoco minhas ideias com dúvidas crueis. Não suporto mais a indecisão e a minha agonia. O que eu faço para me permitir sem medo? Abro mão do meu sorriso quando penso no vagar da sua alma, jovem e imatura nas noites duras. Penso em ti, e em toda negatividade persistente em teu caminho de luz, já não suporto saber que o foco de sombra vem daquilo que tu diz acreditar ser bom.
Me sinto falsa quando em ti meu pesar se lamenta, porque não me abro a sinceridade de nossa amizade? Medo talvez da sua interpretação! Cada qual sabe interpretar de uma maneira, e a minha, será que estou certa? Será que não sou eu a dona de todas as negatividades que vejo? Porque sinto que a minha insegurança se amedronta quando penso nele contigo?
Ai meu Deus, meu nobre e humilde pai, o que eu faço para deserdar essa ideia louca de uma obscuridade insana? O que me leva a acreditar nisto?
Me sinto sem chão quando minha mente se preocupa em agradar você e meu coração busca uma maneira de dizer o quanto lamento saber que ele não serve! Mas será que não estou sendo dura demais? Ou será que minha lucidez me permite entender exatamente como é?
Já não sei quem sou, o que eu faço e o que farei?! Só quero entender de uma vez por todas, numa única dosagem, que esse amor és verdadeiro enquanto dure e nunca, jamais, venha a deixá-la triste.. Por que não vou suportar ver que tudo aquilo que imaginei e um dia poderia impedir de acontecer, venha a existir..
Te amo em todos encantos que minh'alma poderá entender.
Fica com Deus! Só ele poderá lhe proteger.
Beijos enormes,
Bárbara de Castro.

Um comentário:

  1. baby...me fez viajar longe nas tuas palavras...na tua imagem vendo o sol no horizonte...atingiste bem o sonho deste poeta...abraço em teu coração universal
    aloneman
    aloneman54@yahoo.com.br

    ResponderExcluir

Faça valer a pena!