Viver ou existir?

Dizem que uma folha não cai ao chão sem que Deus a tenha permitido. Apesar de muitas vezes a tristeza esconder bem esse sentido, e de derrotar toda a alegria daquele instante, eu acredito plenamente nesta palavras. Sei o quanto Deus vive dentro de nós e por nós. Eu tenho conhecimento da sua força, do seu amor e da sua fidelidade com cada um de nós. Estava escrevendo um pouco, como há tempos não fazia, de papel e caneta na mão. Imaginando a diferença entre duas palavras simples que, para mim, têm singnificados diferentes. E pesquisando no google, eu descobri um texto belíssimo o qual gostaria de dividir com vocês.

Chama-se VIVER OU EXISTIR?

Um dia eu pude perceber que existe uma enorme diferença entre ver e enxergar, ter e ser, ouvir e escutar, andar e caminhar, desejar e querer. Descobri também que viver e existir são coisas inteiramente distintas.

Algumas palavras podem ter o mesmo sentido ou finalidade quando incluídas em uma oração qualquer, parecendo a muitos uma questão de semântica ou de palavras afins.

Mas de fato há uma sutil distância entre entender e captar a essência daquilo que nos foi mostrado.

Os fatores subjetivos, aquilo que está subliminarmente compreendido, precisam ser melhor interpretados por quem não conseguem enxergar o âmago daquilo que foi exposto.

Ninguém mesospreze a força do "oculto" que reside nas "entrelinhas", por exemplo.

Portanto, quando alguém fala que viu, não significa que enxergou o que deveria.

Há distâncias infindas aí.

Quando andamos não quer dizer, necessariamente, que caminhamos. Andamos às vezes sem ter o menor objetivo traçado, sem nenhuma meta a ser atingida.

E ao ouvirmos um som qualquer não implica jamais em afirmarmos que escutamos. Escuta aquele que sente, aquele que busca ouvir o que não foi dito; o que ficou implícito.

Há muita gente ouvindo por aí sem escutar absolutamente nada. Esses pequenos exemplos nos remetem à seguinte reflexão:

Viver e existir são fatores completamente opostos.

Existir é o mesmo que passar pela vida sem tê-la vivido de forma correta e intensa. Aquele que apenas existiu esqueceu de se fazer presente no livro da história, digna e plenamente. Simplesmente passou despercebido. É lamentável vir ao mundo e ter perdido a chance de ter vivido satisfatoriamente.

Viver é realizar-se plenamente, sempre voltado a ações que engrandeçam o ser humano. Vive aquele que se sente parte integrante do universo. Viver quem faz de tudo para ver a alegria estampada na face do outro. Viver é sentir prazer em amar a Deus sobre todas as coisas. Vive quem ama e respeita a natureza e todas as formas de vida. Vive quem pratica só o bem. Viver é amar sempre, sempre! Vive aquele que estende a mão ao amigo que necessita. E é certo que quando estendemos a mão ao nosso irmão, Deus nos estende a d'Ele de imediato.

Viver e existir são diferentes em essências.

Beijos enormes,
Bárbara Pontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!