Grande Clarice Lispector.

Todos que leram um único texto meu, deve ter percebido minha paixão por escrever, ler, poemas, frases,...Sou loucamente apaixonada por esta arte. Adoro entrar na internet e sair pesquisando e descobrindo novos textos, os quais eu nunca havia conhecido. Esse é um, curto, para que ninguém se recuse a ler. Belo, para os apaixonados. Sábio, para os admiradores da arte. E seu, para quem os quer guardar em si. Curta-o.

ISSO É MUITA SABEDORIA
Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição.
Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés.
Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer.
Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...o de mais nada fazer.
Clarice Lispector

Beijos enormes,
Bárbara Pontes.

Exuberância aos meus olhos!!!

Enfim, minha persistência venceu hoje mais uma vez.
Como eu havia prometido numa postagem anterior -AMO FOTOGRAFIAS-!
Apesar da dificuldade da internet aqui em casa, hoje com oração dupla, eu e meu cachorro, consegui baixar todas que imaginava expor. Espero que curtam, não é nenhum profissional, já que estas imagens são belezas naturais, apesar de ser fotografada em uma outra cidade (Niterói) tão bela quanto o Rio de Janeiro, jamais se perde a exuberância dos meus olhos "mariocas".

PRAIA DO FORTE RIO BRANCO - NITERÓI - RJ






Beijos enormes,
Bárbara Pontes.

PS. Vou futuramente, senão hoje, postar mais algumas fotinhas.
Fiquem com Deus.

Salve São Jorge!!!


Foi em 2007 que descobri o quanto há amor envolta de uma fé tão grande ao Santo Guerreiro, São Jorge. Onde morei durante 16 anos da minha vida, na minha cidade natal, pouco se fala deste Santo. Mas no dia 23/04/2007 eu acordei às cinco horas da manhã com uma imensidão de fogos de artifícios.
E foi somente em 2010 que pisei pela primeira vez numa igreja dedicada a São Jorge. Assisti a missa na escada da igreja e pude, rapidamente, adentrar e ver esculpido no altar sua imagem belissíma. Foi aí que senti que também sou uma devota de São Jorge.

2010 Foi mesmo um ano de grandes descobertas!!!

"São Jorge é o santo da Lua!", era assim que o conhecia quando ainda era criança. Passava horas olhando a lua e o vendo derrubar um dragão com sua espada. Na verdade, posso não parecer real, mas confesso que certa vez, durante uma lua cheia eu o vi, nitidamente, São Jorge e o dragão, mas não na floresta, como muitos dizem, e sim numa estrada com casas pequeninas coladas uma nas outras, como era antigamente.
Eu o imaginava com grande capa, um escudo e uma espada que brilhava refletindo a luz. Também o defendia como um guerreiro corajoso, que enfrentou um dragão enquanto estava montado no seu cavalo branco. E o derrotou com a ponta da sua espada.

Hoje, não tão fantasiosa como antes, diante dos fatos que a igreja nos proporciona, percebo que minhas imaginações ou descrições da noite de lua cheia , são verdadeiras. Pois este santo foi mesmo um grande guerreiro. Não pretendo acabar com esta postagem sem antes registrar aqui a oração desse nosso São Jorge.

"Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos tendo pés, não me alcancem; tendo mãos, não me peguem; tendo olhos não me vejam e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar. Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus com sua Divina Misericórdia e grande poder seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meus inimigos. Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo."

Assim seja!
Assim seja!
Assim seja!

Beijos enormes,
Bárbara Pontes.

Carlos Drummond de Andrade -

Há tempos estou devendo um poema brilhante e belo como este. Há tempos estou procurando um que tenha mera semelhança com esta loucura aqui. Pois é, hoje numa pesquisa constante, em busca de um lance perfeito, de um poema deslumbrante encontrei este, do grande Drummond. Talvez, o que acontece sempre, minha interpretação deste seja totalmente diferente da sua. Mas o postei aqui acreditando que este grande poema viu o mundo em que vivemos hoje. Da maneira em que está, infelizmente...Mas nada tira o brilho de cada verso.

Carlos Drummond de Andrade

Os ombros suportam o mundo
Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.

Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.



O QUE ACHARAM? Deixe aqui sua interpretação...Bejios enormes.

AMO FOTOGRAFIAS.

Desde das minhas primeiras imagens recordadas ainda na infância, lembro-me que fotografia sempre encantou meus desejos mais apurados. Conta minha mãe, que eu costumava dar um certo trabalho para realizar minhas refeições diárias, ela relata que minha distração preferida, enquanto era convencida a comer, era ficar folheando o album de fotografias, que eu o chamava de "O AFOTO" (um simples álbum de fotografias da família paterna com uma capa rosa que havia ganhando aquele nome).

Ainda hoje eu sou uma admiradora das fotografias alheias e das minhas também. Por esta razão eu decidi dar-me de presente algo que se desdobrou em dez parcelas, uma câmera digital SONY semi-profissional. Meu mais amado objeto. E o que tem se tornado o mais complicado e enrolado, pois ainda faltam cinco parcelas doces a pagar...risos. Mas isso não vem ao caso.

Quando vou a um lugar onde não a carrego, pelo temor de ser furtada, eu sinto que minhas mãos são incapazes de serem felizes, meus olhos tentam registrar tudinho. Mas sinto que falta mesmo é a minha máquina, algo importante para registrar aquele momento. Quero dedicar alguns dias da minha vida para fotografar tudo que mais me fascina nesta cidade.

Não sei se isso é hereditário ou não, mas tenho um tio que me parece gostar de fotografias também, talvez ele seja o responsável indireto deste meu interesse. Pretendo fazer um curso, ter boas idéias e quem sabe não me profissionalizar nesta área?!

Iniciei falando de fotografias com um único próposito, postar aqui algumas poucas fotos que guardam um dia de sábado numa praia em Niterói-RJ. Entretanto estou refém de uma internet lenta, nesse instante. Prometo uma próxima tentavivas com as fotografias.

Um enorme beijo,
Bárbara Pontes.

Dramático episódio na cidade maravilhosa.

Esta semana eu percebi o quanto somos indefesos diantes de uma arma de fogo e/ou de uma mente perigosa. Com o livro MENTES PERIGOSAS em mãos, assistindo ao programa MAIS VOCÊ com uma pequena participação da sua autora ANA BEATRIZ BARBOSA, eu visualições as cenas mais chocantes de toda a minha vida, aterrorizante. O programa foi interrompido pela triste notícia de um jovem com os seus 23 anos que havia invadido uma escola em Realengo e atirado em vários estudantes. As cenas da rua em frente a escola era de olhares emedrontados, perdidos numa situação nunca vista neste país. Já ouvi falar de vários casos, mas quando o assunto é crianças e adolescentes, quando estes estão dentro de uma sala de aula, buscando um futuro promissor, quando são eles a vítima nós perdemos até o controle e descobrimos olhares tristes e decepcionados. Foram mais de dez mortes, um triste fim. Eu estava tentando imaginar o que se passava na cabeça deste rapaz. O que ele tinha em mente? Já não sei mais como podemos confiar nas pessoas. Ele, com o perfil recuado, e um histórico familiar bem difícil, pois sua mãe legitíma, ao que parece, foi uma suicída. Mas teve o controle da situação, alguém pscicologicamente doente teria a frieza de matar e ainda a percepção de destruir o computador, onde provavelmente ele havia se comunicado com alguém que o encorajou ou num site destes que provocam a destruíção humana. É lamentável existir pessoas assim, com tamanha frieza. Nesta sexta-feira foi o enterro dos jovens pequenos, que deixaram a lembrança da saudade e a marca da tristeza assombrando um país tão bonito. Espero que não mais ocorra esse tipo de desespero humano, onde alguém necessita de atenção. Vou começar a ler o livro citado logo no início, e assim que terminar pretendo entrar aqui para contar um pouco sobre. Nesse momento eu tenho q desejar muita paz a todos, muitas felicidades no coração de cada um e se um dia vier a sentir tristeza, crie um blog, digite, escreva sua trsiteza e deixa-a transforma-se em alegria, sorriso, paz e amor... Um grande beijo, Bárbara Pontes.

O que é lixo?

É muito difícil ver por aí alguma propaganda e/ou campanha do Governo Federal do Brasil em prol de uma reeducação para habitantes deste país que não têm muita noção sobre o estrago que um simples papel de bala poderá fazer futuramente. Este assunto me veio em pensamento hoje pela manhã. Estava colocando o meu lixo incorreto para que o caminhão da Comlurb o levasse, como normalmente faço todas as segundas, quartas e sextas. E digo incorreto, pelo fato dele não estar sendo separado de maneira sensata, até porque pelo meu pequeno conhecimento, somente pela zona sul desta cidade há caminhões preparados para receber o lixo corretamente e encaminhar para seus devidos fins. Mas não venho falar deste assunto complicado não, vou comentar aqui sobre a falta de educação desta população e também pela falta de organização das prefeituras de todas as cidades deste país. Certa vez estava indo ao bairro de Madureira. Num dia chuvoso, o trânsito lentamente passava pelas ruas inundadas.Havia uma senhora no mesmo transporte que eu, e sua netinha comia um biscoito recheado, e quando terminou entregou o pacote vazio a sua avó que o lançou pela janela. Fiquei ali, eu e minha mãe, imaginando que tipo de ensinamento aquela garotinha, futuro do país, estaria carregando pelo fato terrível que sua avó acabara de cometer. Terrível, mas cómico. Pois esta senhora quando foi descer do transporte espraguejou algumas palavras indesejáveis por estar com os pés dentro d'água. Fiquei ali olhando a situação e imaginando que talvez ela e muitos outros ainda não perceberam que se todos os dias comermos um biscoito na rua e lançarmos aquele pacote vazio ao além, imagina quando chover? Quando a água não tiver para onde escorrer. Outro dia foi uma mulher com seus 30 anos aparentemente, estava tomando café em um copinho descartável e a espera do sinal para atravessar a rua. Seu café acabou, ela ao lado de uma daquelas lixeiras laranjas que ficam nos postes, jogou o copinho no chão. Eu pensei que se todos os conscientes, aos poucos fossem aprender mais sobre este assunto, e consequentemente praticar. Imaginei que pudesse eu ir bem ali, ao lado da mulher, e peguesse o copinho dela e jogasse dentro da lixeira. Mas sem falar nenhuma palavra, somente em sua frente para que ela pudesse recordar da situação todas vez. Seria uma boa idéia? Talvez sim?! Enfim, jogar lixo no chão pode acarretar em ruas alagadas, doenças, casas destruídas. Não é legal, é feio, é de caráter pessoal e sendo assim, de má educação. JOGAR LIXO NO CHÃO É FALTA DE EDUCAÇÃO. Vamos aprender diariamente um pouco mais sobre este assunto, e valorizar. Beijos enormes. (Bárbara Pontes)

Vanessa da Mata..Letra incrível.

Adoro belas canções, com letras que seguem o ritmo profundo de um sentimento. Seja ele qual for, apesar que as que falam sobre o amor me encantam à primeira vista. Gostei da letra da nova música da Vanessa da Mata, mas não tenho certeza de sua autoria. Assim que possível confirmo esta dúvida. Olha só esta letra, coisa de outro mundo? Não. Uma velha realidade, hoje em dia é um pensamento raro por aí...

Te Amo
Mas o pior não é não conseguir
É desistir de tentar
Não acredite no que eles dizem
Perceba o medo de amar
Eu cresci ouvindo anedotas, clichês e chacotas, frustrações
Sobre amasiar, se casar, se entregar seria fraquejar
Te amo, Te amo, Te amo Te amo, Te amo, Te amo
E se o tempo levar você, e um dia eu te olhar e não te reconhecer
E se o romance se desconstruir, perder o sentido e me esquecer por ai
Mas nós somos um quadro de Klimt, O beijo para sempre, fagulhando em cores Resistindo a tudo seremos dois velhos felizes de mãos dadas numa tarde de sol
Pra sempre
Te amo, te amo, te amo
Te amo, te amo, te amo