F de ...

Eu descobri que grandes poetas estiveram 'errados' todos esses anos, ao dizerem que temos, em suas inúmeras frases, poemas e textos, que dar valor aos sentimentos no momento que estes dão sua primeira pontada, não deixando para amanhã nada do que se pode fazer hoje. Errados ou não, nós nunca seguimos suas linhas de pensamentos.

Nós, seres dotados de razão e inteligência, somos incapazes de nos ajoelhar, literalmente ou não, diante do amor, não temos capacidade de dar valor aos bons sentimentos assim como damos aos ruins. Exemplo: Se alguém te faz feliz, você o esquece em segundos. Se alguém te humilha, te empobrece de sorrisos, esse alguém será marcado na sua memória. Não generalizando!!!
Nesta última semana veio-me uma carência assombrando mais um dos meus momentos. Mas o engraçado é que eu nunca ouvi falar de extinção por opção, sendo que minha carência era algo mais simples de se resolver. Qualquer pessoa pode suprir o que eu mais necessitei, porém muitas não conhecem o valor de um COLO. Alguém já ouviu ou viu pela rua algum anúncio colocando a Felicidade à venda? Pois é, não existe, se existisse não funcionava, por que felicidade se adquire de maneira tão intima...E não há dinheiro que a pague.

Voltando ao COLO, para os que não sabem, colo é algo tão simples como piscar os olhos ou respirar...não levando em consideração as pessoas que se limitam a isso por motivos de doença. Entretanto ter um colo amigo, confiável e maduro é o mesmo que ter tudo num momento de tristeza momentânea. Por que guardar quaisquer aborrecimentos na memória é ter certeza que um dia eles voltarão, então aí entra o colo, por que é nele que iremos desabafar, é neles que iremos aprender, dividir erros, acertos, somar sorrisos,...

Certa vez disseram-me que viver sorrindo não é sinônimo de felicidade, isso não foi uma indireta, eu captei no momento exato que aquela frase se referia a mim, pois a maior parte do tempo eu estou sorrindo. Eu percebi que a pessoa estava certíssima, é como se num momento alegre nós aproveitássemos para nos distrair, esquecer os problemas, fingir, naquele momento, que sua vida é perfeita. Mas isso é bom, por que distrair a mente é fortalecê-la para o amanhã, é ter mais motivos para resolver os problemas.

Para terminar...
Mesmo depois da minha conclusão sobre a linha de pensamento dos poetas, ou da ausência de bons momentos marcados em nossa memória, mesmo com tudo isso, eu, Bárbara Pontes, irei continuar doando amor, sorrisos, abraços,..., e guardado sempre os bons e deliciosos momentos não dando espaço aos ruins, ao menos que eles me deixem algum aprendizado. Pode parecer que eu seja imatura, mas amar não é imaturidade, não é deixar que outros pisem por cima de mim, amar é me doar a, pelo menos, pessoas próximas que necessitem de qualquer gesto de carinho ou atenção.

Morrer de amor?? Morrer de amar?? Qual é a diferença entre estas duas frases? Se alguém souber...Pelo que eu sei, morrer de amar deve ser a melhor morte, risos, por que amar é a melhor sensação já provada por mim...Para amar é necessário ter algo mais além de nós!!!

PARA PROVAR O SABOR DA FELICIDADE É PRECISO APRENDER SOBRE ALGUMAS COISINHAS, E AMAR É O PRIMEIRO TÓPICO...

Um beijão...
Bárbara Pontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça valer a pena!