Da última vez que entrei aqui minha cabeça estava à mil, hoje um pouco mais tranquila resolvi aparecer pra falar sobre algo que difícilmente eu costumo fazer cara a cara, até porque eu prefiro ouvir das pessoas o que elas pensam sobre mim. Mas pretendo com esta postagem falar mais profundamente sobre a Bárbara que vive dentro de mim.

Quem é a Bárbara???
Quando me apresento a alguém, quase sempre, há uma pessoa fazendo um comentário do tipo: Nome forte!. Mas a verdade é que com o passar do tempo eu descobri que não é apenas o nome que é forte, a dona dele também é. Forte e sensível algumas vezes...risos.
Eu amo ouvir e escrever, já falei sobre isso diversas vezes por aqui, mas não há nada que me encante mais do que amar. Sou uma apaixonada, alguém que pede à Deus para ser um pouco mais reservada diante do amor transbordante que sente pelas pessoas. Por que as pessoa que eu amo, por exemplo, não saberão receber este amor como eu lhe estou doando. Amar é uma das melhores sensações que um dia já provei, senão a melhor! Se fechar para o amor é bloquear o coração para grandes e deliciosos momentos e, conluído, amor não é apenas de homem para mulher ou virce-versa, ou entre elos familiares, existe diversas formas de amar, ou melhor, há diversas pessoas para se amar, um amigo é um grande exemplo disso.

Eu também gosto muito de me sentir livre, mas quase NUNCA, me sinto assim. E isso não é culpa de ninguém que não seja eu, sou tímida e essa timidez me impede de fazer coisas, de falar bobagens, de sorrir de 'sacanagens', de cantar bem alto letras de algumas músicas. Isso me impede de dançar, de ser eu mesma sempre e a todo momento.
Sou uma pessoa muito descontraída, gosto de sorrir e fazer as pessoas sorrirem, gosto de amar, de viajar na 'maionese', gosto da companhia de pessoas que me fazem sentir que o mundo é enorme e a vida é curta, e que eu tenho muito que viver, mas pouco tempo pra perder.

Tenho passado meus fim de semanas na casa de uma tia muito querida, quem ousou ler alguns dos meus post certamente saberá que é, a Jana tem sido uma grande amiga minha, com ela eu tenho me sentido mais viva, sou mais a Bárbara que poucos conhecem e isso tem me feito muito bem. Entretanto eu me sinto em falta com minha casa, com minha família, amo a minha mãe cada dia mais, mas fico imaginando que talves ela sinta minha falta nos finais de semana, e eu estou apenas pensando em mim, sendo um pouco egoísta diante dos meus sentimentos de felicidade, estou vivendo esses dia completamente diferente do que já vivi os meus 19 anos de vida. Eu sempre fui alguém com personalidade forte, nunca gostei de mentiras e difícilmente acreditei novamente em quem já mentiu pra mim, sempre fui tímida, hoje sou até menos, sempre gostei de sorrir e de amar, de ler e escrever, mas até os meus 19 anos sempre fui muito preocupada com minha mãe, parecia que eu era a mãe...risos. Hoje ainda tenho um certo cuidado com ela, carinho de montão e amor infinitivamente enorme, todavia, não que me arrependa, pois sua companhia sempre me foi muito valiosa, mas já deixei de sair para não deixá-la sozinha, aí eu fico imaginando que ela talves sinta mais a minha falta nos fim de semana do que eu sinta a dela, já que tenho voado como se tivesse longas asas e vivido como se não houvesse o amanhã, sempre com total responsabilidade, porque uma coisa é me tornar mais livre e outra coisa é me tornar irresponsável, coisa que eu normalmente não sou e nunca fui.

Bom, eu viajo nas palavras quando escrevo sobre mim, tenho costume de fazer isso sempre que algo ruim me incomoda ou me cega diante de quaisquer probleminhas.

Resolvi escrever para respirar mais tranquila e para mostrar que nunca é tarde para se viver, que nunca é tarde para se perder um pouco da timidez e, finalmente, nunca é tarde para ser feliz consigo mesma. Eu sei que hoje, eu tenho minha tia Jana, não tenho outros amigos senão ela, mas estou ciente que um dia ela estará bem feliz ao lado de alguém que a ama como ela merece ser amada, e que eu não terei a companhia dela como eu tenho hoje, não terei, espera que esteja enganada, a amizade dela tão forte como tenho hoje, mas o meu amor sempre estará pulsando por esta criatura que cruzou o meu caminho e, que de alguma maneira, me fez sair da calçada e andar mais livre pelo meio da pista, me mostrou o que ninguém nunca conseguiu me mostrar, me tem um carinho que todos os meus parentes juntos não consegue ter por mim, essa tia maravilhosa que tenho há 4 anos ( fará 4 anos mais ou menos no dia 13 deste mês de Maio), que eu ganhei de presente, e que me foi o melhor presente que Deus poderia ter me dado na minha vida inteira é uma das pessoas que mais amo na vida, e melhor coisa que tem além de amar é ser amada por quem amamos.

Duas jóias e eu ainda quero reclamar da vida...Obrigada mãe e Jana, por vocês existirem na minha vida e por serem tão maravilhosas! Amo vocês.

Um beijo enorme para cada uma das pessoas que cruzaram o meu caminho, pelas que um dia me amaram e por todas as que um dia olharam nos meus olhos e sorriram. Hoje eu sou uma Bárbara mais Bárbara do que fui ontem, aliás, ontem eu realmente fui Bárbara...risos.

2 comentários:

  1. muito bonito o texto, assim como os outros, mesmo dependendo do seu animo para escrever, parabens pelo amor que sente pelas pessoas que a acompanham, e se expressar tão lindamente através de palavras tão bonitas, bjs baby, by marcel

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Marcel, você é uma pessoa especial... Um beijo grande e fica com Deus.
    Babynha.

    ResponderExcluir

Faça valer a pena!